Eu não espero mais nada de ningém

Decidi que a partir de hoje eu não vou mais esperar. Não vou esperar que o homem pelo qual sou apaixonada fique ao meu lado para sempre; que as minhas amizades sejam eternas, que meus familiares demonstrem carinho por mim, que meu chefe reconheça meu trabalho... não vou esperar nada de ninguém.

O namorado que “de repente” não te ama mais; a amiga que some e não se esforça para te encontrar; os familiares que não dão a mínima para a sua presença; o chefe que não te dá um elogio pela sua competência; além de tantas outras pessoas que não retribuem seu carinho, acabaram te deixando assim, com o coração um tanto “preto-e-branco”.

Quantos amores você já teve certeza que seriam eternos? Quantos amigos você pensou que iriam buscar permanecer na sua vida, que não iriam se abater com os obstáculos que naturalmente vão surgindo, como: o tempo, a distância, as atribuições do cotidiano e até mesmo o surgimento de novas amizades?  Quantos familiares você pensou que estariam ao seu lado sempre que precisasse e que buscariam fazer parte da sua vida? Quantos chefes valorizaram o esforço do puxa-saco e não o seu trabalho competente? Quantas pessoas você desejou que ficassem para sempre em sua vida e quantas estão com você agora?

Temos muitas expectativas, muitas vezes, esperamos mais dos outros.

Ao longo da vida, construímos laços, conhecemos várias pessoas, mas durante o percurso, algumas delas ficam pelo caminho, parecem esquecer que um dia você fez parte da vida delas. E, de repente, quando você olha ao seu redor, percebe que poucas restaram. "Pera aí, cadê aquele rapaz que disse que me amava? Cadê minha a amiga do peito, que disse que estaria comigo nos momentos de alegrias e de tristezas? E aquele tio que dizia que eu era tão especial"? 

Nesse instante, você conta nos dedos quantas pessoas estão com você agora. E se pergunta: mas o que é que eu fiz de errado? Por que todos eles desapareceram da minha vida? Será que é só uma questão de tempo para os que restaram irem embora também? 

Arrisco a dizer que a maioria delas vão embora, no fundo, no fundo, porque querem, e poucas porque realmente aconteceram fatos alheios a suas vontades ou até mesmo por algum erro grave seu.

"Tu te tornas eternamente responsável por aquilo que cativas" se as pessoas vivessem essa frase cuidariam melhor do laço que construiu com você e não te abandonaria. Afinal, você doou o seu tempo e carinho a ela, vocês dois construíram juntos um relacionamento, por tanto não há nada mais justo que ela cuide de você também.

Porém, a verdade é que a gente nasceu para morrer sozinho. Por mais que tenhamos muitos amigos, marido, familiares presentes etc. um dia, todos eles se vão. Então, talvez essas perdas que sofremos ao longo da vida, sejam para nos preparar para perdas mais profundas que teremos que enfrentar e para lembrar que nada nem ninguém é nosso para sempre. A qualquer momento as pessoas podem ir embora, a final, elas não pertencem a você. As pessoas não são como um objeto que você compra facilmente em uma loja e depende apenas de você para cuidar. Uma relação depende de você sim, mas também depende igualmente do outro envolvido e das circunstâncias. 

Por isso, tudo é tão incerto e a gente é tão pequeno, não temos a capacidade de segurar sozinhos alguém em nossas vidas. Assim, na maioria das vezes, não devemos nos culpar porque certa pessoa sumiu, e sim aproveitar a situação para nos lembrar da nossa pequenez e nos desapegar delas. Devemos aprender a ficar bem sozinhos e não esperar que alguém permaneça em nossas vidas para sempre, porque se ela não ficar, você poderá superar mas, se permanecer, aaaah, ela será muito bem-vinda.

Comentários

  1. Tantos textos bonitos. Este foi o mais "depre" que eu li até agora. Risos.

    Na minha opinião, esse tio que você descreveu, está mais para aquele tio que você só vê 2 vezes por ano, e ele, querendo fazer uma média com sua sobrinha, diz que é especial, que te ajudará em tudo que precisar e etc.

    Qualquer familiar, seja um tio, um padrinho, até um avô, se ele realmente tiver uma admiração, um carinho pelo ente, seja por um motivo especifico ou irrelevante, ele vai estar te apoiando. Se isso não ocorrer, alguma coisa aconteceu (seja uma decepção, frustração, motivos particulares), ou ele não teve maturidade suficiente para prosseguir ou de assumir que não tem mais admiração.
    No meu caso, só tenho apoio realmente dos meus pais e irmãos SEMPRE. De resto, somente consideração por ser da família. Alguns com carinho a mais, outros com menos, mas nenhum a ponto de se tornar especial, infelizmente. Minto, minhas duas avós são uns amores. Nunca tive o que reclamar delas.

    Amizade, algumas se vão, outras ficam, isso depende do alicerce ou do vinculo que foi criado ao longo da amizade, e se mesmo depois de décadas, ele sumir.. Ele nunca foi verdadeiramente seu amigo.

    Eu tenho amigos de infância que até hoje os vejo, e tenho uma ótima amizade. Até me sinto privilegiado, já que nos dias de hoje, está cada vez mais difícil ter uma amizade longa e duradoura.

    Questão de amizade é algo muito relativo, porque todos nós teremos amigos passageiros, seja em um curso, no trabalho, na academia, enfim, o que vai determinar se sua amizade será verdadeira ou passageira, será você ter uma identificação por ela (seja por uma admiração, uma opinião semelhante, um gosto parecido, etc) e se darem bem.

    E claro, precisa ser reciproco! rs

    Mas eu tenho o seguinte pensamento, se você é uma pessoa agradável a ponto das pessoas te quererem por perto, com certeza, essas pessoas terão grandes chances de se tornarem seus amigos, basta que você também queira estar com eles.

    E no meio de tantos amigos, o que vai identificar ou "filtrar" a verdadeira amizade, será aquele que estará te apoiando nos momentos difíceis da vida.

    ResponderExcluir
  2. Obrigada pelo seu comentário Gilmar! Foi enriquecedor para o blog. Fico feliz por ter gostado dos textos Abraços

    ResponderExcluir

Postar um comentário